Restauro em Brodowski, interior de São Paulo, garante preservação de afrescos pintados por Candido Portinari

Publicado dia 01/02/2013 por Acam Portinari

Governo do Estado de São Paulo está investindo R$ 2 milhões na obra. Trabalho começou pela estabilização estrutural da casa em que viveu o artista

Um cuidadoso trabalho de restauro em Brodowski, interior de São Paulo, vai garantir a preservação da casa em que o pintor Candido Portinari viveu toda sua infância e parte da juventude, e onde passava longas temporadas, hoje sede do Museu Casa de Portinari. O primeiro passo deste trabalho começou em dezembro e consiste na injeção de calda de cimento para consolidação do solo e estabilização das fundações da frágil residência, construída há mais de 100 anos com técnica e material muito rudimentares.

Tanto cuidado tem o objetivo de garantir a preservação de um tesouro da arte brasileira: afrescos e têmperas pintados por Portinari diretamente nas paredes do imóvel. A obra é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, proprietário do Museu, que está investindo cerca de R$ 2 milhões neste trabalho.

A injeção de calda de cimento no solo tem o objetivo de estabilizar a estrutura da residência. Construída com fundações muito superficiais, ela é especialmente sensível ao crescimento da cidade, ao tráfego de veículos nas ruas do entorno e ao assoreamento do solo causado pelo escoamento de águas pluviais. Para garantir que estes fatores não provoquem rachaduras nas paredes – e, portanto, nos afrescos – operários usam uma máquina para injetar cimento abaixo das fundações da casa.

A pressão do equipamento faz com que os espaços vazios no solo sejam preenchidos pelo material, formando uma espécie de raiz que elimina os riscos de rachaduras por movimentação desigual das fundações. Uma cobertura de lona tensionada foi especialmente fabricada para proteger a casa, o que vai possibilitar a remoção do telhado para recuperação e, ao mesmo tempo, garantir que não haja incidência de chuva ou sol nos afrescos.

Todo o trabalho está sendo acompanhado por técnicos do Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo) e pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), uma vez que a casa é tombada nas duas esferas. O serviço deverá durar pelo menos 15 meses. Enquanto isso, o Museu continua realizando atividades educativas em espaços alternativos da cidade de Brodowski.

Mais informações à imprensa:

Núcleo da Notícia Comunicação Corporativa:
Tel. (16) 3237-7367/68
André Luís Rezende – (16) 8142-4299
andreluisrezende@nucleodanoticia.com.br
Juliana Dias – (16) 9233-1823
julianadias@nucleodanoticia.com.br
Dayane Malta – (16) 9233-3014
dayanemalta@nucleodanoticia.com.br
www.nucleodanoticia.com.br

Secretaria de Estado da Cultura:
Renata Beltrão – (11) 2627-8166
rmbeltrao@sp.gov.br
Giulianna Correia – (11) 2627-8243
gcorreia@sp.gov.br
Juliana Petroni – (11) 2627-8070
jpetroni@sp.gov.br
Lígia Gama – (11) 2627-8164
lgama@sp.gov.br
Natália Inzinna – (11) 2627-8162
ninzinna@sp.gov.br

Posts Relacionados

Museu das Culturas Indígenas: o novo polo cultural de São Paulo que promete valorizar a diversidade

Veja Mais

COSISEM passará a ter representação do ICOM Brasil

Veja Mais

SISEM-SP divulga Relatório Anual de Atividades de 2020

Veja Mais