• portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Museu do Café atinge o Nível 2 do Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP)

Normatização de procedimentos em todas as áreas, bem como a inclusão e a democratização do acesso como premissa das equipes no atendimento de visitantes foram pontos importantes para a conquista

O Museu do Café, localizado em Santos, é o primeiro museu paulista a atingir o Nível 2 do Castrado Estadual de Museus do Estado de São Paulo (CEM-SP), cujo objetivo é estabelecer padrões normativos para o setor museológico e sistematizar as informações sobre os museus em território paulista, identificando suas condições estruturais e atuando de forma dialógica para sua qualificação.

Instrumento de política pública elaborado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, por meio da atuação do Grupo Técnico de Coordenação do Sistema Estadual de Museus (GTC SISEM-SP), o CEM-SP é organizado a partir de parâmetros técnicos que visam nortear a análise sobre a estrutura e funcionamento de cada museu quanto à sua organização institucional e à prestação de serviços à comunidade.

Divididos entre os eixos Gestão e Governança, Salvaguarda de Acervo e Comunicação e Serviços ao Público, e agrupados entre Cadastro Básico e Níveis, a metodologia do CEM-SP estabelece 85 parâmetros técnicos de análise que estão referenciados na legislação do Estatuto dos Museus, dentre outras, e estão amplamente publicizados.

Para atingir o Nível 2, o Museu do Café precisou atender às exigências técnicas de 24 parâmetros, sendo 8 deles em Salvaguarda de Acervo, 7 em Gestão e Governança e 9 em Comunicação e Serviços ao Público.

“Para o Museu do Café, chegar ao Nível 2 do CEM-SP, significa o reconhecimento da consolidação do equipamento como instituição museológica atuante de acordo com os parâmetros determinados aos museus paulistas. Também atesta o intenso trabalho da equipe de modo geral pelas ações realizadas ao longo de mais de 20 anos de existência”, afirma Alessandra Almeida, diretora executiva do Museu.

Segundo ela, a normatização de procedimentos em todas as áreas do Museu do Café foi um ponto importante para atingir o Nível 2. Além disso, ela também destaca o amadurecimento da equipe, que trabalha em rede e de forma colaborativa com todos os setores do museu. “Também vale mencionar a inclusão e democratização do acesso como premissa das equipes no atendimento de visitantes”, explica.

A importância de aderir ao CEM

A diretora executiva do Museu do Café também comenta que o CEM-SP vai muito além de um título.  “É a possibilidade de discutir com profissionais especializados do corpo técnico do SISEM-SP [Sistema Estadual de Museus de São Paulo] pontos essenciais sobre a regularização documental dos museus ou a necessidade de atualização dos procedimentos, adotando parâmetros mínimos para a instituição museal”, destaca. Todo o processo de análise é submetido à apreciação e deliberação do Conselho de Orientação do SISEM-SP e, ao final, as instituição cadastrada recebe um Relatório Técnico e um Diagnóstico Situacional, documentos que podem nortear a elaboração de um planejamento estratégico de qualificação institucional e, devido ao seu nível de detalhamento, subsidiam a tomada de decisões de seus gestores.

Ao aderir ao CEM-SP, os museus permitem que o SISEM-SP faça a organização e a gestão das informações sobre as instituições museológicas, o que otimiza buscas e pesquisas sobre o setor e valida informações de forma rápida e eficiente.

“Fora as diversas vantagens que as instituições têm, como o acesso a ações de formação e capacitação definidas a partir das necessidades específicas de cada região, o CEM-SP é um diferencial na análise de propostas de projetos que visam o acesso ao Editais ProAc Museus e ProAc ICMS, entre outros benefícios”, destaca o diretor do GTC/SISEM-SP, Davidson Kaseker.

Como aderir ao CEM-SP

Para aderir ao CEM-SP, é necessário acessar o Sistema de Gerenciamento de Dados do CEM-SP (https://cem.sisemsp.org.br), criar um login e cadastrar a instituição. Em seguida, será necessário preencher o Instrumento de Qualificação Cadastral Básico (IQC Básico), que corresponde ao formulário inicial do CEM-SP.

Depois do preenchimento, o GTC SISEM-SP entrará em contato e agendará uma visita técnica de aferição. Após a visita técnica, há a análise de todas as informações coletadas e a apresentação do processo cadastral ao Conselho de Orientação do Sistema Estadual de Museus (COSISEM).

Podem aderir ao CEM-SP as instituições culturais que se dedicam em caráter permanente e sem fins lucrativos à preservação e divulgação de acervos culturais materiais ou imateriais em espaços abertos ao público para finalidade de estudo, pesquisa, educação e fruição, contando com quadro de pessoal para seu financiamento.

Para saber mais sobre o CEM-SP, é só acessar o site https://cem.sisemsp.org.br.

Fonte: SISEM-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*